MÉDIUNS DE CURA

MOMENTO ATUAL E MENSAGENS APÓCRIFAS
outubro 24, 2016
Exibir tudo

MÉDIUNS DE CURA

A mediunidade provê excelente ferramenta para aquele que deseja se melhorar de forma segura, eficiente e eficaz. É uma ferramenta que se bem utilizada pode operar verdadeiros prodígios em benefício dos mais necessitados quer sejam encarnados quer sejam desencarnados. Temos muitos exemplos no dia a dia, e também nas esferas missionárias, como podemos ver em médiuns como, Yvone do Amaral Pereira, Divaldo Franco, Chico Xavier e outros, que se destacam no movimento Espírita.

“Toda pessoa que sente a influência dos Espíritos, em qualquer grau de intensidade, é médium. Essa faculdade é inerente ao homem. Por isso mesmo não constitui privilégio e são raras as pessoas que não a possuem pelo menos em estado rudimentar. Pode-se dizer, pois, que todos são mais ou menos médiuns. Usualmente, porém, essa qualificação se aplica somente aos que possuem uma faculdade mediúnica bem caracterizada, que se traduz por efeitos patentes de certa intensidade, o que depende de uma organização mais ou menos sensitiva”.

“Deve-se notar, ainda, que essa faculdade não se revela em todos da mesma maneira. Os médiuns têm, geralmente, aptidão especial para esta ou aquela ordem de fenômenos, o que os divide em tantas variedades quantas são as espécies de manifestações”. (O Livro dos Médiuns, cap. 14, Item 159)

“Somente para mencioná-la trataremos aqui desta variedade de médiuns, (médiuns de cura) porque o assunto exigiria demasiado desenvolvimento para o nosso esquema. Estamos, aliás, informados de que um médico nosso amigo se propõe a tratá-la numa obra especial sobre a medicina intuitiva. Diremos apenas que esse gênero da mediunidade consiste principalmente no dom de curar por simples toques, pelo olhar ou mesmo por um gesto, sem nenhuma medicação. Certamente dirão que se trata simplesmente de magnetismo. É evidente que o fluido magnético exerce um grande papel no caso. Mas, quando se examina o fenômeno com devido cuidado, facilmente se reconhece à presença de mais alguma coisa”. (O Livro dos Médiuns, cap. 14, Item 159)

O médium curador tem a sua especialidade na cura como qualquer outra pessoa tem no ramo em que atue. Um médico tem a sua especialização em determinada área, porque nela se debruçou por mais tempo, e assim é em todos os ramos de atividades. No caso do médium, além do estudo, é preciso ter também a aptidão para outros requisitos, que passa pelo dom de curar.

E os requisitos básicos para o bom desempenho da mediunidade de cura é o devotamento e abnegação. Muito difícil de ser administrada porque mexe diretamente no ego do médium, que muitas vezes se acha acima do Espírito que executa a cura, esquecendo-se que é apenas o instrumento, tem trazido grandes benefícios a as pessoas necessitadas, mas em muitas ocasiões alguns prejuízos a Doutrina Espírita em virtude da forma deturpada com que ela é utilizada.
Uma das grandes provações do médium de cura é não se deixar levar pelas tentações do orgulho e da vaidade. Quando o médium começa a ser muito solicitado, começa a ser muito elogiado, fica famoso e muitos começam a adorá-lo como um santo, seu ego pode atrapalhar sua missão. Há muitos médiuns de cura que caíram por sua vaidade e perderam a oportunidade bendita do trabalho, no campo do bem. Por isso Allan Kardec, com muita propriedade faz a seguinte recomendação:

Mediunidade é coisa santa, que deve ser praticada santamente, religiosamente. Se há um gênero de mediunidade que requeira essa condição de modo ainda mais absoluto é a mediunidade curadora. (…) O médium curador transmite o fluido salutar dos bons Espíritos; não tem o direito de vendê-lo. “Jesus e os apóstolos, ainda que pobres, nada cobravam pelas curas que operavam.” (O Evangelho Segundo o Espiritismo, Cap. 26, Item 10.)

Os comentários estão encerrados.